Caixa corta juro do financiamento imobiliário para 6,75% ao ano

A Caixa Econômica Federal cortou pela segunda vez neste mês de outubro o juro do crédito imobiliário. Agora, a taxa mínima do financiamento atrelado à Taxa Referencial (0%) será de 6,75% ao ano. Até então, os juros eram de 7,5% ao ano para contratos com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE). A instituição é responsável pela maior parte dos financiamentos de imóveis no Brasil.

A taxa mínima para imóveis financiados no Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e no Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) será de TR + 6,75% ao ano. Já a taxa máxima será de TR + 8,5%. Houve redução de 0,75 ponto e 1 ponto, respectivamente. As taxas valem para novos contratos a partir de 6 de novembro.

De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, houve crescimento na demanda de crédito imobiliário. Em coletiva, ele disse ainda que essas condições de financiamento chegam a ser melhores que as do Minha Casa Minha Vida, faixa três (para famílias com renda mensal de até R$ 7 mil).

Nas últimas semanas, a Caixa já havia anunciado redução não só nas próprias taxas de financiamento imobiliário, mas também em outras linhas, como cheque especial e crédito pessoal não consignado. Matéria publicada pelo Valor no começo de outubro mostrava que o movimento não havia sido acompanhado pelos demais grandes bancos de varejo.

Em relação a agosto, os juros médios das operações contratadas pela Caixa no cheque especial, por exemplo, passaram de 289% para 194% ao ano nos empréstimos a pessoas físicas, e de 353% para 217% nos empréstimos a pessoas jurídicas.

Antecipação do FGTS

Além disso, na semana passada, a instituição financeira também anunciou a antecipação para este ano do cronograma de pagamentos dos saques imediatos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviços (FGTS). A medida, que dá direito ao trabalhador de retirar até R$ 500 por cada conta, pode injetar R$ 40 bilhões na economia ainda em 2019, na estimativa do banco. O cronograma anterior estabelecia a liberação de recursos até março do ano que vem.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, tem negado qualquer influência do ministro da Economia, Paulo Guedes, nas decisões. De acordo com ele, as medidas têm sido “matemáticas” e realizadas em função da situação financeira confortável da Caixa

Veja a tabela abaixo com as taxas mínimas praticadas agora pelas principais instituições.

Taxa mínima de juros de financiamento imobiliário

Banco Taxa de juros
Caixa Econômica 6,75% ao ano + TR
Bradesco 7,30% ao ano + TR
Itaú 7,45% ao ano + TR
Sicoob 7,50% ao ano + TR
Banco Inter 7,70% ao ano + TR
Santander 7,99% ao ano + TR
Banco do Brasil 8,29% ao ano + TR
Fonte: O Globo


Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?